Patrimônio Despedaçado de São Paulo

Janeiro 19 2009

Casa das Retortas, o antigo Gasômetro do Parque Dom Pedro II é um exemplo da arquitetura fabril inglesa do século XIX.
Situada no quarteirão das ruas do Gasômetro, da Figueira e Maria Domitila, o prédio está construído na antiga várzea do rio Tamanduateí. Na construção destacam-se  as paredes de considerável espessura, a grande chaminé, os espaços amplos. O conjunto ocupa um terreno de 17.060 m² e abrange uma área construída de 13.079 m².
A primeira usina de gás, com produção de gás a partir de carvão coque foi construída em 1872 fora dos limites da cidade, na época, na área da antiga Chácara da Figueira, da Marquesa de Santos, no bairro do Brás.
Esta primeira Casa, porém, por ser pequena, não suportou a demanda da produção e teve que ser substituida. Foi demolida por volta 1911, anos depois que a atual, construída em 1889, já estava em funcionamento total. Foi erguida também com o sistema construtivo trazido por Willian Ransay,  arquiteto inglês especializado em edificios industriais. Com tijolos autoportantes e cobertura em estrutura metálica, seguindo os moldes da Arquitetura Industrial Inglesa
Retortas é o nome dos recipientes que guardam o carvão para a produção de gás. A Casa das Retortas foi declarada de utilidade pública em 1967 um ano antes da criação da Companhia Paulista de Gás. Foi a CONGAS que encomendou ao arquiteto Paulo Mendes da Rocha o projeto de restauração e adaptação do edifício principal. Além do retauro, nele foi instalado um mesanino que praticamente duplica a área útil da construção.
As obras foram executadas em 1978. Em 1979, o edifício passou a abrigar o Centro de Pesquisas sobre a Arte Brasileira Contemporânea e o Departamento do Patrimônio Histórico (DPH), ambos orgãos da Secretaria Municipal da Cultura. Em matéria publicada no nº 4 da Revista Brasileira de Arqueometria, Restauração e Conservação, a arquiteta Flavia Paes Lourenção, da Universidade Mackenzie, ressalta as condições do imóvel em 2007:
- "Atualmente a Casa das Retortas encontra-se vazia, bem como todo o terreno da antiga Usina de Gás, sendo esporadicamente sede de eventos e festas. Porém, se continuar assim, tenderá à deterioração, pois de nada adianta um bem estar protegido legalmente porém abandonado. Somente a plena utilização e, portanto, reconhecimento da população que garantirá sua proteção efetiva.". Esta é sua situação ainda em 2009.
 .

publicado por enniobrauns às 19:03

Parabéns pela iniciativa! Excelente e necessário trabalho...
Henrique a 18 de Fevereiro de 2009 às 18:00

Patrimônio Despedaçado é um projeto documental e historiográfico do que resta do patrimônio mal conservado, de São Paulo. Concebido, pesquisado e fotografado por Ennio Brauns.
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16

24

25
26
28
29
30
31


pesquisar
 
pesquisar
 
blogs SAPO