Patrimônio Despedaçado de São Paulo

Janeiro 21 2009

Projetado por Domiziano Rossi, sócio no escritório de Ramos de Azevedo, em 1910, é um dos poucos exemplos que restaram daquele que foi o maior escritório de arquitetura da cidade entre o fim do século XIX e o começo do século XX. Foi idealizado para abrigar a Feira de Produtos Agrícolas e Industriais. Fazia parte de projeto, para a área do atual Parque D. Pedro II, de um grande Boulevard, ao estilo Bois de Bologne, nos primeiros anos da década de '10, mas foi a única parte do projeto a ser construida. Entre 1947 e 1968 abrigou a Assembéia Legislativa. Depois disso, durante mais de 20 anos foi ocupado por repartições da Secretaria de Segurança até que em 1991 a sede da Prefeitura foi tranferida do Ibirapuera para suas dependências. Isso durou até 2004 quando, após a mudança da Prefeitura para o Palacio Patriarca, o prédio ficou vazio e assim está até hoje. Desde essa última mudança o prédio passou aos cuidados da SPTuris (antiga Anhembi Turismo). A partir disso algumas propostas para uso do imóvel foram anunciadas. De área para exposições e eventos, até museus, os mais diversos: Museu da Cidade,  Museu dos Brinquedos, depois chamado Museu da Criança e Fundação Catavento. Em 2006 o superintendente-geral da Associação Viva o Centro, Marco Antonio Ramos de
Almeida
, declarava que: "a idéia de transformar o Palácio das Indústrias em um "museu do futuro", com foco central na tecnologia, é uma solução muito boa. O lugar é propício para isso,
porque tem estacionamento grande e fácil acesso, por meio de ônibus e metrô. Além disso, o museu contribuirá para a revitalização da região central da capital. Só é preciso que isso aconteça logo"
 . Até agora, nada foi posto em prática e o Palacio continua vazio e mal conservado.

publicado por enniobrauns às 21:48

Janeiro 21 2009

Agora é o fim! Com certeza não é o que queremos mas é o que tá parecendo que vai acontecer. Desde o fim de 2006, venho acompanhando o progressivo desabamento da cúpula deste imóvel. Está situado na esquina das ruas do Triunfo e dos Gusmões, próximo à Sala São Paulo (Estação Julio Prestes), ao Memorial da Resistência (Antigo DOPS) e ao Museu da Lingua Portuguesa (Estação da Luz). Construção da primeira década do século XX, já com finalidade hoteleira, hospedou políticos e fazendeiros que chegavam a cidade pela Sorocabana ou pela Santos-Jundiai.  Nessa área da cidade, compreendida entre o Parque da Luz à avenida São João, apelidada de Cracolândia pela concentração de venda e consumo de crak, estão localizados alguns bons exemplos de imóveis com caracteristicas preservadas, embora carecendo de manutenção: o Palacete Victoria, o Palacete Lellis por exemplo. O Escala seria mais um não fosse o descaso tanto dos proprietários quanto do poder público que entretido na burocracia de seus  "planos de urbanização e revitalização" adiam sua inclusão no projeto. Talvez este seja o patrimônio mais próximo da destruição entre os avaliados no projeto Patrimônio Devastado. Se alguma coisa vai  ser feita pelo bem do  patrimônio abandonado dessa cidade, deve começar por aqui e rápido, antes que seja tarde.

publicado por enniobrauns às 20:00

Patrimônio Despedaçado é um projeto documental e historiográfico do que resta do patrimônio mal conservado, de São Paulo. Concebido, pesquisado e fotografado por Ennio Brauns.
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16

24

25
26
28
29
30
31


pesquisar
 
pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO