Patrimônio Despedaçado de São Paulo

Fevereiro 12 2009

Nesta esquina estão o primeiro e o segundo prédios da praça. Este à direita é o primeiro. O segundo é o Palacete São Paulo, do outro lado da esquina onde atualmente funciona a editora da UNESP. O Edificio Augusto Gazeau, apesar de constar que estava em processo de tombamento, em 2004,   até meados de 2006 ainda não havia sido concluido, em nenhuma de suas esferas. Fato que entusiasmou os proprietários do "Estado de S. Paulo" a pensar em comprá-lo para instalar ali o Centro Cultural Julio Mesquita, responsável pela curadoria dos arquivos do jornal.
Falta, no prédio,  o torreão que encimava a esquina, retirado na reforma de 1962 que também acrescentou um 6º andar, recuado da fachada, aos únicos cinco que a prefeitura permitiu na época de sua construção. As obras começaram no início da década de 1910, mas sua conclusão só foi possível, no entanto, 14 anos depois, em 1924. No projeto original do engenheiro italiano Emilio Monaco, contava com mais quatro andares (embargados pela prefeitura quando a obra estava na quinta laje) e o torreão sobre o ângulo.
O prédio é também o segundo a usar estrutura de concreto armado, na cidade e o primeiro na praça da Sé. Seu proprietário, o empresário livreiro Augusto Francisco Gazeau, ao longo da sua vida, reuniu uma pequena fortuna que tranformou em prédios de uso comercial, espalhados pela cidade, para garantirem a renda dos três filhos. Este prédio, cujo andar térreo abrigou a Livraria Gazeau, serviria também para garantir a renda da filha mais nova. As duas  fotos de baixo são do Palacete São Paulo, com o detalhe do furo na cúpula.

 

publicado por enniobrauns às 04:42

Fevereiro 12 2009

O Triângulo é, como é chamado, o trecho do centro compreendido entre esta rua, a São Bento e a XV de Novembro. Esse era o núcleo "efervecente" da cidade do planalto de Piratininga, entre a segunda metade do século XIX e início do XX. O Centro era balizado pelos Conventos de São Francisco, de São Bento e da Ordem 3ª do Carmo. As ruas não iam além dos vales dos rios Tamanduateí e Anhangabaú. Tudo era tão perto que a primeira linha de bonde, com tração animal, só seria inaugurada em 1872. Portanto é das mais antigas de São Paulo, mas não tem mais tantas construções que demonstrem essa idade toda. Uma delas é essa na foto à esquerda. Um sobradinho de dois andares que já teve janelas e portas do 1º andar alteradas, assim como a pintura. Este à direita está na esquina com a Quintino Bocaiuva, é muito mais rebuscado no seu desenho da fachada. É mais antigo também.
A São Paulo da época dessas construções vivia um crescimento vertiginoso como nunca se havia visto em mais de 3 séculos. Para se ter uma idéia, em 1895 a população da cidade de São Paulo era de 130 mil habitantes, sendo que desses, mais de 70 mil eram estrangeiros. Cinco anos depois a população já era de 239.820 indivíduos.

publicado por enniobrauns às 02:01

Patrimônio Despedaçado é um projeto documental e historiográfico do que resta do patrimônio mal conservado, de São Paulo. Concebido, pesquisado e fotografado por Ennio Brauns.
Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
26
27
28


pesquisar
 
pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO